E talvez o Volkswagen Fusca seja o principal deles, pelo menos no Brasil, onde mais de 3,3 milhões de unidades foram comercializadas durante muitos anos. Modelos clássicos sempre foram objetos de destaque na garagem de Brunno Cortes, 25 anos, um verdadeiro fanático por máquinas emblemáticas e potentes. “O Brunno é um verdadeiro aficionado por carros antigos e preparados. Além desse, ele tem um Puma GTB turbo, um Porsche Spyder preparado e muitos outros bólidos”, comenta Denis Mangone, preparador e proprietário da ChampCar, oficina responsável pelo acerto mecânico do Fusca 1972 aspirado do aficionado.

Fusca Preparado

Ciente das pretensões de seu cliente, o experiente preparador propôs um tipo de preparação que, até então, não estava nos planos de Brunno Cortes: um motor 2.300 cc aspirado.

Após muitas conversas e explicações sobre o estilo de preparação, o cliente se deu por satisfeito e deixou o carro sob os cuidados de Mangone que, além de tudo, contava com uma grande vantagem para acertar esse carro. “Sou um verdadeiro apaixonado pelo modelo 72, conhecido como Fuscão”, declara.

fusca_-_preparado_para_as_ruas_17_20100601_2000731426

Dessa forma, o modelo foi encaminhado para um trabalho de aprimoramento estético. Por fora, a pintura, que já era da cor atual bordô, foi inteiramente restaurada, recebendo um banho de tinta geral, bem como a troca dos pára-lamas dianteiros pelos originais, pois quando o carro foi comprado, o antigo proprietário havia alterado essas peças para o modelo dos VW Fusca mais modernos. Tal atitude descaracterizou a idéia do projeto do carro. Demais peças foram trocadas ou restauradas, permanecendo todos os cromados originais de pára-choques, frisos, maçanetas, capas de faróis, e adicionados alguns outros, como limpador de pára-brisas.

Com a revitalização do carro, o próximo passo seria a mecânica, em que seriam alterados diversos componentes, a fim de se obter a potência e durabilidades pretendidas, porém, um objetivo foi traçado: independentemente do que viesse a ser feito no carro, o mesmo deveria permanecer com seu visual original, obrigatoriamente permanecendo com o motor Volkswagen a ar, que para Denis e Wagner, preparadores da Champcar, trata-se de uma religião. “Não somos muito adeptos da retirada do motor VW a ar para instalação de outros motores como se vê muito hoje em dia. Preferimos manter o Fusca com seu “pedigree” original e trabalhar em cima de seu motor que, quando bem preparado, gera resultados incríveis!”,comentam.

TRIUNFO
Assim, deu-se início ao trabalho que levaria cerca de um ano para ser concretizado da forma como o proprietário queria. “A intenção nesse projeto era obter o máximo de performance com um trabalho qualificado e que não oferecesse dores de cabeça”, comenta o preparador.Para isso, o novo motor 2300 cc recebeu diversos aprimoramentos e equipamentos qualificados. A começar pelo sistema de injeção eletrônica no lugar do antigo e obsoleto carburador. “Esse tipo de upgrade é excelente, pois oferece comodidade nos acertos, evitando constantes regulagens como nos carburadores, bem como conseguimos também atingir maiores potências”, comenta Mangone.

fusca_-_preparado_para_as_ruas_8_20100601_1987177499Em seguida, começaram as modificações no motor a ar. O virabrequim original deu lugar a um Lepe de 82 mm, enquanto que as bielas Scat “H” Beam 5.7” trabalham com pistões forjados Mahle de 94 mm. O comando de válvulas também foi substituído por um modelo importado da Pauter Machine de 330º, mesma marca das varetas de cromo-molibdênio que equipam o propulsor.

Ainda na parte mecânica, os cabeçotes VW foram trabalhados com válvulas de aço inox Scat de 44×36 mm, os balanceiros BugPack 1.4 são forjados e o volante do motor foi aliviado. Por fim, foi instalado um corpo de borboletas quádruplo Crestana de 48 mm, modelo IDF, polia graduada BugPack, além do escapamento em aço inox 4×1 dimensionado, desenvolvido pela Dinho’s Escapes Especiais. A taxa de compressão foi elevada para 13,8:1 e o sistema de injeção eletrônica programável HIS MDFIC01 controla quatro bicos IWP trabalhados pela ChampCar, contando ainda com a assessoria técnica de Roberto Hayashi, diretor da empresa HIS.

Já no setor de alimentação, o Fuscão conta com bomba elétrica GTI, dosador SPA e filtro de combustível lavável. Complementam o setor um distribuidor hall de Kombi, bomba de óleo Schadek de cárter seco e dois radiadores de óleo, sendo que um deles foi instalado na parte frontal entre o pára-choque e a carroceria, e o outro, posicionado ao lado do câmbio equipado com ventoinha elétrica acionada pela HIS com conexão desenvolvida com mangueiras Aeroquip, ao invés das tradicionais de borracha.

Na parte elétrica, o modelo foi equipado com módulo de ignição Mallory HyFire 6AL e bobina MSD Blaster SS. Para finalizar o conjunto, a equipe da ChampCar tratou de instalar velas NGK Racing de grau 9, equipadas com cabos de velas MSD 8.5, além do alternador de 52 amp da Bosch.

Por fim, para locomover do chão esse canhão de 182,6 cv (medidos na roda) com 25,8 kgfm de torque, foi instalado um conjunto de embreagem Kartmox de 900 lbs com disco de cerâmica de quatro pastilhas. O câmbio de quatro marchas com relação escalonada e engrenagens forjadas importadas é da Erco. As pontas de eixo também deram lugar a modelos especiais e forjados Gene Berg e o auto blocante foi desenvolvido pela ChampCar com molas, podendo oferecer travamento quando o carro necessita de tração ou então mais leveza durante as curvas.

fusca_-_preparado_para_as_ruas_9_20100601_1659473402O sistema de transmissão conta ainda com coxins rígidos de fabricação própria da ChampCar e uma barra de tração também artesanal.

Para segurar esse canhão das ruas, além dos excelentes pneus Michelin 185/65 R15 e C.Drive Yokohama 225/60 R15, que equipam as rodas Weld Pro Star dianteira (4,5”X15”) e traseira (7”X15”), respectivamente, o carro conta com disco de freios nas quatro rodas. Os frontais são de Fusca, mas refrigerados com perfuração e equipados com pastilhas de competição e os traseiros são especialmente produzidos pela ChampCar com discos de Fusca e pinças do Golf.

“O carro freia muito e sem dar solavancos. O trabalho no sistema de frenagem desse carro ficou muito bom”, comenta Mangone.

SÓ O ESSENCIAL
Por dentro, só o essencial para uma boa pilotagem, mas com uma boa dose de requinte e luxo. Dessa forma, os bancos originais cederam lugar para modelos oriundos de um Fusca “Itamar” forrados com couro bege e o volante escolhido para equipar o carro é um Lenker, modelo Classic.

fusca_-_preparado_para_as_ruas_19_20100601_1197124143

O tom de esportividade é dado com a instalação de alavanca Scat Drag Fast e as pedaleiras personalizadas. Já para saber tudo o que acontece no motor aspirado do Fusca, o proprietário conta com um jogo de manômetro Autometer que conta com instrumentos para medição de velocidade, conta-giros, nível de combustível, pressão de óleo e combustível, além de um pirômetro ODG. O jogo de equipamentos internos é complementado com um shift-light que acende quando a pressão de óleo está abaixo dos níveis estabelecidos pela equipe de preparação.

“O requinte da parte interna é algo que o proprietário pediu. Afinal de contas, ele utiliza o carro também no dia-a-dia”, comenta.

O toque final do trabalho de customização dessa relíquia veio na parte externa, onde, além das rodas importadas, foram adicionados retrovisores do Fusca alemão, ponteira de escape em aço inox com abafador de 2,5”, caixa de alumínio do respiro e tampa do motor levemente aberta.

“Agora ele pode desfrutar do prazer de andar num carro que dificilmente dará dores de cabeça, já que a preparação aspirada oferece mais durabilidade e diversão”, finaliza o preparador.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA